Filme – Ratatouille

Ratatouille
Receitas de sucesso

Pergunte a quem quiser… Qual a melhor comida que você já teve o prazer de degustar? A maioria das respostas apontará as preparações culinárias das respectivas mães, avós ou esposas. Comida caseira tem um sabor genuíno, próprio, particular e, praticamente, inimitável…

Com o século XXI um crescente interesse das pessoas pela gastronomia tem sido percebido pelos quatro cantos do mundo. E esse interesse, adicionado a curiosidade por novos sabores e preparações, encontrou na globalização o terreno ideal para que ocorresse uma expansão considerável do segmento culinário.

Livros, programas de televisão, colunas nos principais jornais do mundo, revistas especializadas e, até mesmo, filmes dedicados à temática têm surgido alhures. Chefs de todas as nacionalidades e restaurantes das mais variadas bandeiras ganharam notoriedade e brigam, dia após dia, por um lugar de destaque num cenário local, nacional e, até mesmo, internacional.

E desde quando o mundo acostumou-se as refeições fora de casa? Isso é uma exclusividade do século XXI? Certamente que não. A história registra o surgimento dos restaurantes, que inicialmente tinham o claro propósito de “restaurar” as energias, em modelos aproximados daqueles que hoje conhecemos, apenas a partir do século XVIII (1701-1800), durante a fase em que a nobreza perdia prestígio e poder e assistíamos à ascensão da burguesia.

“Ratatouille”, essa incrível e deliciosa fábula moderna criada pela Disney, é mais um libelo em prol da idéia de que, em gastronomia e na vida, temos que buscar o sabor pleno, a aventura completa e o deleite absoluto em tudo o que fazemos e vivemos. O mote do chef Gusteau, apresentado ao longo da animação, em que se diz que todos e qualquer um, sem distinção, podem aprender a cozinhar, constitui uma lição que não deve se restringir as cozinhas ou a gastronomia…

Nesse sentido, a grande lição nos é dada, mais uma vez (como em quase todas as produções Disney), por um personagem que nem é humano, o ratinho Remy. É ele que comprova, na prática, o ensinamento do estrelado cozinheiro Gusteau, seu mentor ao longo do filme, e transforma o mais simples e tradicional caldo francês, o Ratatouille, num prato que comensal algum dispensaria ou deixaria de elogiar…

O Filme

Remy é um simpático ratinho do campo que pertence a uma grande comunidade de roedores como ele. A natureza desses animais os leva a buscar constantemente a sua sobrevivência buscando alimentos no lixo e em restos deixados de lado pelos humanos. Nem sempre esses recursos estão bons para o consumo e, em alguns casos, estragados ou até mesmo envenenados, causavam baixas entre os ratos. Mas Remy desenvolveu um talento nato, pouco peculiar para animais de sua espécie, através do qual consegue discernir pelo olfato, a qualidade dos alimentos – inclusive se são ou não próprios para o consumo. E como esse descendente moderno do Mickey Mouse chegou lá?

Aprendendo a ler para devorar o livro de Chef Gusteau – o mais renomado cozinheiro francês (ao menos no filme), assistindo programas de gastronomia na televisão de uma velha senhora que morava nas proximidades de sua comunidade de ratos, remexendo as prateleiras de especiarias e na despensa de alimentos dessa mesma residência,… Em suma, tudo aquilo que nenhum de seus parentes do reino animal faziam, já que só se preocupavam em sobreviver…

E, principalmente, provando os mais diversos sabores, isolados ou combinados…
Mas um dia… Descoberto pela dona da casa onde fez todas essas pesquisas e experimentos, e sob a mira de uma calibrada espingarda, Remy e seus amigos e familiares são colocados para correr a toda a velocidade para salvar suas peles.

E depois de uma jornada das menos gloriosas pelas águas de um esgoto local, Remy acaba se separando de seus iguais e vai parar num local que ainda não conhece bem por nunca ter estado lá, mas do qual já tem informações por ter lido e assistido na televisão… A capital mundial da gastronomia (e da França), Paris…

Melhor do que isso impossível… Ainda mais que o ratinho azul, por acaso acaba chegando ao restaurante de ninguém menos que Chef Gusteau, seu mentor. É nesse outrora ultra-estrelado estabelecimento que ele conhece Linguini, Skinner, Collette, o crítico gastronômico Ego e companhia limitada…

E é nesse ambiente que ele terá que provar a todos e, principalmente a si mesmo, que realmente é possível a qualquer um aprender a cozinhar com qualidade e talento… “Ratatouille” é diversão de primeira, prato cheio para todos os públicos e não apenas para as crianças ou os aficcionados em gastronomia… Bon apetit!

Ficha Técnica
Ratatouille

País/Ano de produção: EUA, 2007
Duração/Gênero: 110 min., Animação/Comédia/Aventura
Indicação Etária:livre
Direção de Brad Bird, Jan Pinkawa
Roteiro de Brad Bird, baseado em história de Brad Bird, Jim Capobianco e Jan Pinkawa
Elenco (vozes): Patton Oswalt, Ian Holm, Lou Romano, Brian Dennehy, Peter O´Toole, Peter Sohn, Brad Garrett, Janeane Garofalo, Will Arnet, Julius Callahan, James Remar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s